Filosofia & Interdisciplinariedade

Que todos os seres sejam felizes! Que todos os seres tenham paz! Que todos os seres sejam livres!

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Educação dos filhos e a Televisão



O hábito de ver televisão já foi caracterizado como uma privação de estímulos sensoriais múltiplos. Estudos mostram que animais jovens, quando colocados em áreas fechadas que permitem a eles apenas assistir à brincadeira de outros animais, têm o cérebro diminuído em tamanho numa relação direta com o tempo gasto nessa atividade passiva (Healy, 1990). A televisão apresenta estímulos para apenas dois sentidos: audição e visão. Além disso, a pobre qualidade do som por ela reproduzido, aliada às imagens ofuscantes, coloridas e fosforescentes emitidas pela tela, causa problemas no desenvolvimento funcional dos órgãos associados a esses dois sentidos.

Falemos um pouco sobre o sentido da visão:

Quando se assiste televisão, os olhos estão fixamente dirigidos para a tela, enquanto a imagem se move nela. Esse fato é aproveitado terapeuticamente nas clínicas oftalmológicas, prescrevendo-se aos pacientes recém operados de vista assistir à televisão durante várias horas por dia, pois esta é a única possibilidade de realmente manter os músculos oculares em repouso total. Lembrando que a acuidade visual e a visão binocular completa (tridimensional) não estão inteiramente desenvolvidas até os 4 anos de idade, perguntamos: O que acontece quando no mundo inteiro um número incontável de crianças entre os três e os doze anos de idade assistem de quatro a seis horas de televisão todos os dias? Numa etapa da vida em que o movimento é o processo mais importante para o desenvolvimento da criança, esta fica sentada fascinada, com a musculatura rija, assumindo uma postura típica diante da tela, uma vez que a imobilidade dos músculos oculares se transmite a toda musculatura corpórea. O processo visual, no entanto, transcorre de modo anormal, já que na visão normal os músculos oculares apresentam movimentos muito diferenciados, “tateando” o objeto de observação.
Nosso sistema visual – “a habilidade de buscar, notar, focalizar e identificar aquilo que se apresenta ao nosso campo visual” (Buzzell, 1998) – é prejudicado ao assistirmos a TV. Essas habilidades visuais são as mesmas necessárias ao desenvolvimento da leitura. Crianças que vêem TV não dilatam adequadamente suas pupilas, mostram pouco movimento ocular e deficiência nos movimentos sacádicos dos olhos (o salto necessário para ir de uma linha a outra no texto). A falta de movimentos oculares ao assistirmos a TV é um problema, tendo em consideração que a leitura requer constante dinâmica dos olhos, principalmente da esquerda para a direita. O enfraquecimento dos músculos oculares pela falta de uso pode impactar negativamente a habilidade e a capacidade de ler.
“Permitam, na medida do possível, que seus filhos passem sua infância longe da mídia! Permitam que eles possam ter a percepção da natureza e da vida humana, em seu meio ambiente e durante viagens, tal como elas realmente são, para que se possa estabelecer um relacionamento genuíno, que perdure por toda a vida. Conversem com seus filhos, brinquem com eles, não permitam que máquinas se tornem seus melhores amigos e companheiros!”

Texto recebido por e-mail e retirado de:
A TV E O DESENVOLVIMENTO MENTAL DE NOSSAS CRIANÇAS - ESTRANHOS EM NOSSOS LARES

Nenhum comentário:

Postar um comentário